quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Vírus HPV pode causar câncer de boca e garganta

A constatação é recente e está fazendo a ciência alertar aos casais sobre o assunto. Antigamente, o câncer de boca e de garganta só era provocado por uso abusivo de álcool ou cigarro. Todavia, pesquisas realizadas por instituições que trabalham desenvolvendo novos métodos de tratamento para a doença conseguiram descobrir que a Infecção por Papilomavírus Humano, comumente conhecida como HPV, também pode provocar o aparecimento de tumores. E a causa disso é a prática de sexo oral sem segurança.
O alerta aqui em Alagoas foi feito pela cirurgiã de cabeça e garganta Moana Cavalcante. A especialista informou que está sendo cada mais vez frequente o surgimento de câncer de boca ou de garganta ocasionado pela infecção do HPV, que, ao se manifestar, transforma-se em verrugas dentro da boca e ao longo da garganta dos pacientes.

“Muita gente não sabe que o sexo oral pode provocar câncer nesses órgãos. Por isso, precisamos esclarecer à população e pedir que todos pratiquem o sexo seguro, evitando assim, o troca-troca de parceiros e o ato sexual sem segurança, sem o uso dos preservativos”, recomendou ela.

Exames preventivos

Moana Cavalcante explicou que, quando o exame com técnica aplicada de DNA é realizado, o resultado preciso vai apontar se o paciente foi infectado pelo HPV e qual é a mutação do vírus.

O microorganismo poderá se desenvolver com rapidez ou ficar alojado e não se manifestar por um longo período. Todavia, se ele evoluir para o aparecimento das verrugas, elas têm que ser retiradas da boca ou da garganta por meio de uma intervenção cirúrgica.

“A prevenção é muito importante, porque, de início, ela evita o surgimento da doença e, num segundo momento, permite que o tratamento seja menos agressivo, com metodologias de cura que não exigem tanto sofrimento do paciente. E o alerta serve mais ainda para os homens porque, diferentemente das mulheres, não fazem o papanicolaou, aquele exame que previne o câncer de colo de útero. Ou seja, se eles estiverem infectados com o vírus, não vão ter como saber e podem transmiti-lo, sem intenção, para outra pessoa”, esclareceu a especialista.

E o HPV pode também provocar câncer de boca e de garganta em recém-nascidos. “O vírus pode chegar a um paciente por meio do sexo oral ou pela transmissão vertical. Esta última ocorre durante o parto normal, onde a mãe, através do sangue, passa o HPV para o bebê. Com o tempo, a criança poderá sim desenvolver os tumores”, explicou a cirurgiã Moana Cavalcante.

Citologia exfoliativa

Eesta técnica é semelhante à do exame de apanicolaou. O médico raspa a lesão suspeita e espalha o tecido coletado sobre uma lâmina. A amostra recebe um corante e é analisada ao microscópio. Se essas células parecerem anormais, uma biópsia será feita. A vantagem desta técnica é que, além de simples, permite a análise de lesões com aparência minimamente anormal, abrindo caminho para diagnóstico precoce. No entanto, este método não detecta todos os cânceres e nem sempre é possível distinguir entre as células cancerosas e células não-cancerosas (displasia).

Infecção por papilomavírus humano (HPV)

Os papilomavírus são uma família de mais de 100 vírus. A maioria causa verrugas em várias partes do corpo e alguns poucos são responsáveis por mais de 90% dos casos de câncer de colo de útero.

Esses mesmos HPVs estão presentes em cânceres de garganta. Os tipos de HPVs que causam câncer de colo de útero são encontrados em 20% a 30% dos cânceres de amígdala e em 20% das pessoas com câncer de garganta.

Pessoas com câncer de garganta associado a uma infecção por HPV têm um prognóstico melhor que os demais. As opções de tratamento para os pacientes são cirurgia e radioterapia, sozinhas ou combinadas entre si ou com quimioterapia, dependendo do estádio do tumor.

Fonte: Tudo na Hora - Blog Mais Saúde

Nenhum comentário:

Postar um comentário